sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

De Giggs a Grigg vai um Van Gaal de Distância

| João Gonçalves



No passado dia 5 de Julho William Grigg seria a apenas só mais um espectador atento do jogo Holanda - Costa Rica que produziu um dos momentos mais falados do Mundial do Brasil. Louis Van Gaal antes de terminar o prolongamento troca de guarda redes a pensar nos penaltis e o resto já se sabe como acabou.

Grigg, 23 anos, é um avançado internacional pelo seu país, Irlanda do Norte, fez carreira no Walsall onde deu nas vistas com 19 golos em 2012/13 valendo-lhe uma transferência para o Brentford. Aí só fez 5 golos em 34 jogos e transferiu-se para o MK Dons. Estamos a falar, portanto, de uma carreira na League One, terceiro escalão inglês.

O Milton Keynes Dons é um dos clubes que menos simpatia tem em Inglaterra devido à sua origem. Foi fundado em 2004 quando a direcção do Wimbledon FC renegou 113 anos de tradição e decidiu mudar-se do distrito de Wimbledon, na Grande Londres, para Milton Keynes, na região de Buckingham, a 90 km. Para herdar o lugar do Wimbledon FC na 3ª divisão, o novo clube teve de trocar de nome e deixar para trás toda a sua história. Insatisfeitos com a mudança de sede e de nome, os adeptos do histórico Wimbledon FC, que fez furor nos anos 80 chegando a vencer uma Taça de Inglaterra,  uniram-se e fundaram o AFC Wimbledon apenas seis semanas depois. Começaram no 9º escalão e entretanto já contam com 5 subidas de divisão. É uma história que merece ser aprofundada mas aqui serve só para enquadrar melhor o contexto.

Rio Ave: 10% de inspiração

| Luís Cristóvão



Tu pensas, planeias, organizas, dedicas-te a um objetivo, marcar sem sofrer golos. Segunda mão do playoff de acesso à Liga dos Campeões. O adversário mexe, ligeiramente, na sua arrumação em campo e consegue tapar-te os caminhos para a baliza. O tempo passa, o desespero aumenta, e o tique-taque do relógio impele-te para um jogo mais direto, ainda que os suecos sejam, fisicamente, mais aptos a defender-se de bolas altas. Já passaram os 90 minutos. O teu guarda-redes corre para impedir que uma bola saia pela linha de fundo, mesmo que a posse fosse para a tua equipa. Procura o melhor ponto para a pontapear, parece hesitar, a bola sai longa. O teu avançado falha o cabeceamento e o defesa é surpreendido, toca-a para lá da linha de fora-de-jogo que o adversário preparava. Estava lá Esmael. O árbitro auxiliar lê bem a situação, deixa prosseguir a jogada. Tudo acontece muito rápido. O teu avançado não consegue bater a bola em condições, dir-se-ia que falhou o remate. Mas a bola passa pelo guarda-redes e cada segundo parecem horas. Sim, vai mesmo em direção à baliza. Golo. E tu, treinador, agradeces aquele espaço que fica sempre no plano para os 10% de inspiração.

 

quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Moti é Mito

|Luís Cristóvão



A Liga dos Campeões como, na nossa memória, ainda sobrevive a velha Taça dos Campeões Europeus. Agora já não pelos canais encontrados nas eternas buscas de satélites com a antena parabólica lá de casa, mas pelos jogos que se podem ir encontrando disponíveis na internet - o detentor dos direitos de transmissão para Portugal não poderia adivinhar que se iria escrever uma das páginas mais bizarras da história desta competição.

Depois de terminados os jogos “grandes” da noite, partimos, uns quantos apaixonados e uns quantos loucos, em busca do prolongamento do Ludogorets - Steaua de Bucareste. Uns e outros fomo-nos sentindo sonolentos como o decorrer daquela partida, talvez um pouco encantados pelo cenário meio dantesco de um velho estádio cheio de gente na bancada central, talvez um pouco esperançosos do que poderia sair da marcação de grandes penalidades. Aos 119 minutos, no entanto, a história largou o seu script e começou a viver por si só.

Legia de Varsóvia, o vencedor da semana

| João Gonçalves



Apesar de ausente na última eliminatória de acesso à Champions, o clube polaco é o grande vencedor desta semana.

O Legia calhou com o Celtic de Glasgow na eliminatória anterior e foi muito superior vencendo em Varsóvia 4-1, repetindo o triunfo na Escócia por 0-2. Um jogador utilizado irregularmente fez com que a UEFA castigasse o Legia com uma derrota de 3-0 que apurava assim o Celtic. Os polacos ainda apelaram para o fair play dos escoceses mas nada feito. O Celtic aproveitava o erro do adversário e apesar de claramente derrotado em campo avançou na prova.

Em maré de sorte o adversário que lhes calhou a seguir era o menos complicado possível do pote. Os eslovenos do Maribor, onde Zahovic é dirigente, pareciam presa fácil e abria-se assim a porta para o regresso dos católicos à prova maior de clubes. Um empate 1-1 no estádio Ljudski vrt parecia confirmar a passagem do Celtic. Com mais de 55 mil entusiásticos adeptos no Park Head, prontos a festejar mais uma noite europeia de glória, aconteceu justiça poética ao minuto 75. Um brasileiro que joga no Maribor há vários anos rematou para a baliza e deixou a sua equipa em vantagem. O golo de Marcos Tavares levou ao delírio os adeptos eslovenos, os adeptos do Legia e os adeptos do Rangers, enquanto o resto da Europa sorria com nova saída do Celtic da Liga dos Campeões. Diz-se que no futebol não há justiça mas quando acontece desta maneira é inesquecível.

Diga-se que o Legia após a derrota administrativa em Glasgow já leva 4 jogos a vencer e sem sofrer qualquer golo. Hoje recebe o Aktobe, do Cazaquistão, depois de ter ganho 0-1 fora tenta carimbar a passagem para a fase de grupos da Liga Europa. Esperemos que não utilizem nenhum jogador indevidamente.

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

De que falamos quando falamos de formação

| Luís Cristóvão



Vários são os desafios que se colocam a quem pretende, nos nossos dias, discutir a formação de jogadores. Para começar, porque a medição do sucesso desta formação não é capaz de assentar unanimidade entre os vários intervenientes. Normalmente, os dirigentes dos clubes procuram medir o sucesso através dos resultados, enquanto os treinadores, sobretudo os mais envolvidos nos escalões jovens, compreendem que o sucesso passa por dotar o jogador de ferramentas que o ajudem a compreender o jogo e a executar dentro dessa compreensão ao mais alto nível possível. No entanto, o jogador também entra nesta equação e, pelo que se vai compreendendo pelos movimentos de jogadores em equipas que disputam os Nacionais de formação, a necessidade de exposição destes jovens - considerados, desde cedo, como ativos pelos respetivos agentes - acaba por introduzir mais um dado viciado.

Guias Rápidos



A Gazeta dos Desportos tem o prazer de apresentar o seu novo colaborador, João Gonçalves, ativista do futebol com amor à camisola. Como prenda de entrada, o João oferece-nos os seus guias leves e rápidos sobre as principais competições de futebol europeu. Podem saber mais sobre o João Gonçalves na nossa página de autores.

Já disponíveis para consulta estão os seguintes guias:
Primeira Liga
Premier League
Bundesliga
La Liga BBVA

Em breve teremos mais colaborações!

Imagem adaptada da capa do livro Guia Politicamente Incorreto do Futebol, que pode ser comprado aqui

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

O que não deveria ser a formação

|Luís Cristóvão



Dar mais atenção à formação aumentando o raio da ação do Selecionador dos Seniores, resulta, normalmente, em menor atenção à formação.

O que a formação precisa é de um conjunto de técnicos qualificados que tenham diretrizes claras do trabalho a realizar num médio prazo de 5 a 10 anos. Precisa-se de uma Coordenação dos trabalhos das diferentes equipas de formação para dar resposta ao que se planeiam vir a ser as necessidades da equipa de Seniores. É errado colocar o Selecionador Nacional "a cavalo" na Formação, como se uma pessoa tivesse o tempo e a disponibilidade mental para fazer tudo ao mesmo tempo, esperando resultados melhores dessa opção.

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Uma questão de espaço no Boavista - Benfica

|Luís Cristóvão

Ao domínio do Benfica na primeira parte, respondeu o Boavista com uma segunda parte de muita qualidade ofensiva. No entanto, foi no processo defensivo que se diferenciaram os dois conjuntos (para lá da questão da qualidade individual dos jogadores). Enquanto o Boavista demonstrou dificuldades em conseguir constranger o ataque encarnado, o Benfica, apesar de alguns sinais preocupantes, foi sempre mais eficaz a anular a ofensiva das panteras. No final, podemos até entender que o jogo, decidido em pormenores, nos deu um bom exemplo para comparar onde é que um lado teve sucesso e o outro falhou. O momento do golo do Benfica teve um lance equiparado já perto do final da segunda parte, na mesma baliza, agora defendida por Artur, e o que aconteceu é claro.

 No golo encarnado, Eliseu beneficia de imenso espaço, surgindo desmarcado para rematar à baliza de Monllor.

Na baliza contrária, os dois elementos dos boavisteiros que estavam em posição de rematar à baliza, surgiam cobertos pelos defesas encarnados.

Uma questão de espaço, de pormenor, a definir no plano de jogo de cada um dos técnicos o resultado final da partida.

domingo, 24 de Agosto de 2014

Sporting - Arouca: Análise rápida

|Luís Cristóvão



Ter uma estrutura em 2-3-1 dá muito mais apoio à presença na área. Se saírem William e Slimani, será essa a melhor opção. No entanto, sem um avançado finalizador (Slimani ou outro), o Sporting fica sempre nas mãos de equipas ultra-defensivas. Das muitas opções para as faixas,Nani é o único que poderá garantir um rendimento fiável. Mas também é ele que pode ser o melhor segundo avançado.

sábado, 23 de Agosto de 2014

La Liga BBVA 2014/15 - Um guia leve e rápido.

| João Gonçalves

Em terra de Messi e Cristiano Ronaldo quem tem Simeone é Rei! O espantoso Atlético de Madrid quebrou o domínio de Real e Barça e é agora o alvo a abater. Os dois gigantes gastaram fortunas no reforço dos planteis mas os colchoneros também se reforçaram bem e com muito menos despesa. Valência e Sevilha apostam forte na luta por um lugar na Champions mas não será fácil bater os estáveis Atlético de Bilbao, Real Sociedad e Villareal.

Muita curiosidade para acompanhar com carinho o regresso do Cordoba após uma dramática promoção no último segundo e a estreia do pequeno mas valente Eibar que em dois anos sobe do terceiro escalão para a elite! O Depor vai tentar sair do ritmo sobe / desce e tentar manter-se entre os grandes. Clubes que contrastam com a riqueza do topo da tabela vão continuar a tentar fazer milagres, Rayo, Levante, Almeria, Elche, Granada e Getafe, clubes que dão tudo para continuar entre os maiores.

A Liga espanhola está mais interessante do que nunca com a luta a três no topo e com 21 portugueses em acção. São 20 equipas que importa conhecer.




sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Bundesliga 2014/15 - Um guia leve e rápido.

| João Gonçalves

Com mais de meio século de história o campeonato alemão tem vindo a ganhar adeptos em todo mundo graças à sua impecável organização e superior promoção. Estádios cheios, jogos à tarde, com a excepção da partida que abre cada jornada disputada à sexta feira à noite, nível de futebol muito acima da média, jogadores de nível mundial e competição forte.

No país campeão do mundo de futebol há uma supremacia do Bayern de Munique, bi campeão e 23 títulos ganhos. Mas o campeonato já foi ganho por 12 clubes diferentes e nas últimas 10 temporadas houve 5 campeões diferentes! O domínio do Bayern não costuma ultrapassar os dois anos, este ano vão tentar repetir o Tri que já não acontece desde 1999-2001, aparecendo sempre alguma equipa a quebrar o ciclo. Esta época o Dortmund vai tentar regressar ao topo enquanto o Schalke espreitará como outsider. A luta pela Europa será intensa e espera-se o aparecimento de uma surpresa ao estilo do Mainz da última época ou do Hoffenheim em épocas passadas. O Hamburgo é o único clube que nunca desceu mas apanhou grande susto há meses quando foi até ao playoff salvar-se da Bundesliga 2 de onde vieram o histórico Colónia e o heróico Paderborn.

Vai começar um dos melhores campeonatos do mundo onde actua o português Vieirinha, o sérvio emprestado pelo Benfica Djurici e para onde se transferiu o central Mitrovic também vindo da Luz. Daqui podem sair opositores nas provas da UEFA. Altura ideal para se ficar a conhecer os 18 participantes.